Remédios para a apneia noturna

A apneia do sono é o sintoma mais característico da Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono (SAOS), que afeta até 5% da população adulta.

A apneia do sono pode causar hipoxemia (pouco oxigênio no sangue), esforço inspiratório e repetidos micro despertares.

A gravidade é proporcional à frequência e duração das apnéias.

O nocice da apneia noturna é devido a suas complicações:

  • Distúrbios cardiovasculares.
  • Hipertensão.
  • Stroke.
  • Fibrilação atrial.
  • Insuficiência cardíaca.

A apneia do sono causada por SAOS é causada por colapso das vias aéreas e fechamento parcial da hipofaringe; segue-se um esforço muscular inspiratório muito intenso, necessário para reabrir o fluxo de ar.

Redução da musculatura faríngea e excesso de tecido mole (especialmente tecido adiposo) estão implicados.

No contexto da Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono, roncos e sonolência ou fraqueza excessiva durante o dia também são destacados.

O que fazer

A primeira coisa a fazer, quando em dúvida de sofrer de apnéia do sono, é realizar um procedimento diagnóstico.

  • Entre em contato com seu médico de atenção primária.
  • Enquanto isso, tente identificar quaisquer sinais e sintomas que possam estar associados à apnéia do sono:
    • Ronco.
    • Fraqueza diurna.
    • Tiros repentinos do sono.
    • Boca seca ao acordar.
    • Alteração de humor.
    • Baixa concentração.
    • Dismnesie.
    • Incontinência urinária.
    • Em crianças, retardo de crescimento.
    • Índice de massa corporal> 29.
    • Circunferência do pescoço> 43 ou 41cm (machos e fêmeas).
    • Desvio do septo nasal, hipertrofia de cornetos, tonsilas etc.
  • Faça uma polissonografia (geralmente solicitada diretamente pelo médico da atenção primária ou pelo centro especializado em SAOS). Este exame é capaz de:
    • Detecte apneias e hipopneias.
    • Classifique o distúrbio.
    • Reconhecer a fase do sono em que ocorrem.
  • A critério do especialista, realizar um eletroencefalograma, detecção de movimentos oculares e membros.
  • Se estiver acima do peso, reduza o peso corporal em 10% imediatamente.
  • Dormir em uma posição lateral.
  • Jante muito antes de dormir.
  • Beber álcool longe do sono e com moderação de qualquer maneira.
  • A critério do especialista, tome medicamentos específicos.
  • Use maquinaria específica.
  • Se necessário, aproveite a cirurgia.

O que NÃO fazer

  • Ignore ou subestime a apnéia do sono noturno.
  • Aumente o peso ou fique acima do peso.
  • Durma em uma posição supina.
  • Jante e beba álcool perto do sono.
  • Coma muito antes de ir dormir.
  • Beba álcool antes de dormir.
  • Tome sedativos.
  • Fumar muito.
  • Evite usar o CPAP (dispositivo de ventilação noturna) prescrito pelo seu médico.
  • Evite a cirurgia recomendada pelo médico.

O que comer

Lembrando-se de mastigar com cuidado, destacamos a importância de:

  • Consumir pequenas porções e, em geral, um jantar bastante leve.
  • Para preferir alimentos facilmente digeríveis:
    • Baixo teor de gordura, então apenas levemente temperado; no caso do queijo, escolha ricota magra e flocos de leite light.
    • Se proteico, médio cozido (não sangue ou mesmo cozido demais).
    • Se a prevalência de carboidratos, com a quantidade certa de fibra (porções inferiores a 300g de legumes, grãos e legumes possivelmente decorticados).
    • Cozido com sistemas que facilitam a digestão:
      • Affogatura.
      • Cozinhado
      • Pressurizado.
      • Vácuo a ferver.
      • Vasocottura.
      • Em saco assado.
      • Em uma panela em fogo baixo.
    • Pouco picante.
    • Pouco saboroso.

O que não comer

Antes de dormir é necessário evitar:

  • Álcool
  • Refeições abundantes.
  • Grandes porções de leite.
  • Alimentos ricos em gordura, especialmente fast-food, fritos ou fritos e junk food em geral.
  • Alimentos muito ricos em fibras indigestas: por exemplo, grandes porções de legumes cozidos ou crus.
  • Alimentos que retardam o esvaziamento do estômago, aumentando as chances de uma ascensão de sucos ácidos (refluxo gastroesofágico e regurgitação).
  • Refrigerantes com gás que aumentam a quantidade de ar no saco gástrico.

Curas Naturais e Remédios

Além da correção do estilo de vida (dieta, posição do sono, etc.), os remédios naturais para apnéias noturnas são poucos e não muito eficazes. Alguns são:

  • Gesso nasal: deve aumentar o fluxo de ar pelas narinas.
  • Chá de ervas ou extrato de valeriana: melhora a qualidade do sono, mas não interfere no mecanismo da apneia do sono.
  • Óleos essenciais: promovem a dissolução do muco e tendem a ofuscar a mucosa das vias aéreas superiores. Eles podem moderar o ronco, mas não se diz que eles agem positivamente na SAOS.

Cuidado farmacológico

Estimulantes que agem sobre o sintoma da letargia diurna que favorece o repouso noturno; eles não intervêm na causa:

  • Modafinil (por exemplo, Provigil).
  • Teofilina (por exemplo, Aminomal Elisir, Diffumal, Respicur).
  • Citrato de cafeína (por exemplo, Nymusa).
  • Anfetamina e Destroanfetamina (por exemplo, DextroStat, Adderall, Dexedrine).

prevenção

A prevenção da apneia do sono, SAOS e complicações envolve:

  • Evite excesso de peso.
  • Eventualmente, perder peso com uma dieta hipocalórica equilibrada e exercício físico.
  • Coma um pouco à noite e evite práticas contraproducentes (álcool, cigarros, etc.).
  • Realize as análises diagnósticas mais apropriadas.
  • Tire proveito de terapias farmacológicas e outros tratamentos médicos.
  • Se necessário, remova cirurgicamente os impedimentos ao fluxo das vias aéreas superiores.

Tratamentos Médicos

Os tratamentos médicos recomendados para a apneia do sono são:

  • Pressão positiva contínua nas vias aéreas (CPAP): é uma máquina específica que produz ar forçado. Deve ser usado como uma máscara e conectado a um pequeno compressor. Facilita a respiração noturna mesmo quando ocorre constrição das vias aéreas.
  • Cirurgia dos defeitos anatômicos da via aérea superior: estão em otorrinolaringologia ou competência maxilofacial. Os mais comuns são:
    • Septoplastia.
    • Redução de turbina.
    • Amigdalectomia.
    • Adenoidectomia.

Recomendado

Ovos frescos
2019
icterícia
2019
Sintomas gastroenterite viral
2019